boa sorte (good luck)

setembro 24, 2007

rio de janeiro, 24 de setembro de 2007

querida mariana,

quando um amigo ou familiar viaja, sempre ouço alguém dizer que, mesmo quando não vemos a pessoa com frequência, a saudade aumenta muito mais quando sabemos que ela tá longe. e foi assim que acordei hoje: sentindo muita saudade.

espero que tenha corrido tudo bem no vôo pra londres. eu adoro viajar de avião, mas tenho muita dificuldade pra dormir. sempre foi assim. quando criança, indo pra disney, eu era o único da família a ver todos os filmes. pra passar o tempo, além dos filmes, fico admirando a capacidade de todos conseguirem dormir com tanta facilidade (ou a minha capacidade quase-única de não conseguir).

mas, apesar do cansaço posterior, eu gosto de não conseguir dormir. adoro ter uma estranha sensação de “caramba, eu devo estar há umas 10 horas em silêncio”. não é assustadoramente bom? você já vai passar muito por isso. então, espero que, pelo menos no vôo, nos sonhos, você tenha conseguido conversar um pouquinho.

eu tô tão curioso pra saber como tá sendo o seu primeiro dia. conte-me assim que puder. tô aqui esperando por um cartão postal do big ben, ou do parlamento. mas se o dinheiro tiver contado, pode mandar um e-mail mesmo. prefiro que você gaste suas libras no starbucks (peraí, é londres ou america?) tomando café, afinal, o site do tempo me informa que a temperatura aí tá por volta de 16ºc.

você chegou a baixar o disco do nick drake? a santa música vai se tornar a sua mais fiel companheira aí no exterior – nas caminhadas, na hora da saudade, na hora de dormir. ah! você já reparou que aí só escurece muito mais tarde?

preciso parar por aqui. tenho que ir trabalhar pra, quem sabe, poder estar aí logo logo. onde você vai estar em janeiro?

um beijo,
jaques lamure